Comissão presidida por Marun conclui votação de destaques e reforma da Previdência vai a plenárioNotícia Anterior
Inadimplência do consumidor cai 9,1% em abril, diz Boa Vista SCPCPróxima Notícia
Notícias

Com 20 entidades, Frente terá a missão de destravar a regularização fundiária em MS

Espaçamento entre linhas+- ATamanho da fonte+- Imprimir esta notícia
Com 20 entidades, Frente terá a missão de  destravar a regularização fundiária em MS

Com a participação de mais de 20 entidades, a Frente Parlamentar de Regularização Fundiária da Assembleia Legislativa tem a missão de alavancar a regularização de imóveis rurais e urbanos em Mato Grosso do Sul. “A Frente dá o primeiro passo. Passo forte e importante, e estamos motivados a buscar resultados. Para isso é necessário trabalhar em conjunto, para se obter o sucesso desejado”, afirmou o coordenador da Frente Parlamentar, deputado Renato Câmara (PMDB). A primeira reunião do grupo de trabalho aconteceu na quarta-feira (10).

O objetivo do grupo de trabalho é discutir, propor e acompanhar a execução de políticas públicas relacionadas a regularização fundiária no Estado. “Estamos em um momento histórico em que se busca a resolução deste problema que é a regularização fundiária no nosso Estado. Fico feliz em perceber a disposição do Incra em ajudar neste processo. Espero contribuir para que os assentados possam receber a titularidade de sua moradia, oferecendo desta forma mais dignidade às famílias”, avaliou o deputado Herculano Borges (SD), que é membro da Frente.

As entidades que fazem parte da Frente destacaram a importância da criação do grupo de trabalho. “A Assembleia Legislativa está de parabéns. Eu não tenho dúvida de que a Frente Parlamentar irá nos ajudar e muito”, admitiu o diretor-presidente da Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer-MS), Enelvo Iradi Felini.

Já o chefe da Divisão de Ordenamento e Estrutura Fundiária do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra-MS), Cláudio Roberto Ferro Júnior, falou da relevância da Frente. “Os conflitos existem e vão continuar existindo e com a Frente temos uma ferramenta que irá auxiliar o Incra em suas ações”, assegurou o representante do órgão.

“Eu vejo com otimismo a criação da Frente Parlamentar e com a soma dos esforços iremos solucionar os problemas da situação fundiária no Mato Grosso do Sul. Temos muito trabalho e necessitamos de muito afinco para chegarmos ao nosso objetivo”, ressaltou o prefeito de Itaquiraí, Ricardo Fávaro Neto, que representou a Associação dos Municípios do Mato Grosso do Sul (Assomasul).

Por fim, o representante da Associação dos Notários e Registradores de Mato Grosso do Sul (Anoreg – MS), Ricardo Fabrício Seganfredo, agradeceu pela instituição fazer parte do grupo. “Nós que trabalhamos com a regularização e observamos o valor do Poder Público em auxiliar neste sentido. Parabenizamos a Casa de Leis pela criação da Frente Parlamentar e faremos tudo que está ao nosso alcance para ajudar essa parcela da população que tanto necessita”, garantiu o chefe do executivo municipal.

Compõem ainda o grupo de trabalho, além das instituições já citadas, a Secretaria Especial da Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário de Mato Grosso do Sul, a Universidade Anhanguera-Uniderp,a Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar de Mato Grosso do Sul (Fetraf-MS), a Federação da Agricultura Familiar de Mato Grosso do Sul (FAF-MS) e o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra de Mato Grosso do Sul (MST-MS).

E ainda a Central Única dos Trabalhadores de Mato Grosso do Sul (CUT-MS), a Cresol, a Procuradoria Geral do Estado (PGE), a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (Uems-MS), a Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso do Sul (OAB-MS), Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado de Mato Grosso do Sul (Crea-MS), a Defensoria Pública do Estado, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro),a Agência Estadual de Habitação Popular de Mato Grosso do Sul (Agehab-MS), a Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE-MS) e o Ministério Público Estadual.

Fotos: Wagner Guimarães
Assessoria

0 Comentários

Sem Comentários Esta postagem ainda não tem comentários

Comente agora, seja o primeiro!

Mas você pode ser o primeiro a deixar um comentário !

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *