Morte e epidemia de raiva antecipam campanha de vacinação em MSNotícia Anterior
Governo anuncia investimento de R$ 7,7 bilhões com ampliação da fábrica da Fibria em Três LagoasPróxima Notícia
Notícias

Para impedir greve de professores, Governo retira projeto polêmico da Assembleia

Espaçamento entre linhas+- ATamanho da fonte+- Imprimir esta notícia
Para impedir greve de professores, Governo retira projeto polêmico da Assembleia
Notícias relacionadas

Manifestantes lotam Plenário da Assembleia Legislativa.(Foto: Bruno Henrique/Correio do Estado).

Diante da paralisação de servidores, que deixou 278 mil alunos sem aula, o Governo do Estado de Mato Grosso do Sul solicitou retirada de projeto de lei que modificava critérios para eleição de diretores em escolas estaduais. O anúncio ocorreu durante a sessão, desta quinta-feira (14), na Assembleia Legislativa.

Conforme o primeiro vice-presidente, Onevan de Matos (PSDB), a retirada ocorre diante de um “governo democrático” e pode encerrar a mobilização. Servidores que ocupavam o Plenário comemoraram o fato com gritos de “trabalhador unido, jamais será vencido!”

Marquinhos Trad (PMDB) pontuou que o destino da proposta terminou em “modesto funeral”, uma vez que impedia que administrativos pudessem assumir cargo direção de escolas, além de restringir voto da comunidade escolar de surdos e indígenas.

Os professores da rede estadual de ensino, que está sem aula hoje, seguem para a Assembleia Legislativa onde acompanharão votação de projeto de Lei nº 48/2015, que altera o PL nº 3244/2006, que trata sobre as eleições de diretores.

Ainda nesta quinta-feira, a categoria votará indicativo de greve que, se aprovada, terá início dia 21 (quinta-feira da semana que vem). A greve está relacionada ao reajuste salarial. A categoria alega que, para cumprimento da Lei Estadual, falta conceder reajuste de 10,98% que ficou pendente.

A reposição das aulas perdidas nesta quinta-feira serão feitas no próximo sábado (16) nas escolas da rede estadual.

Correio do Estado

0 Comentários

Sem Comentários Esta postagem ainda não tem comentários

Comente agora, seja o primeiro!

Mas você pode ser o primeiro a deixar um comentário !

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *