Professores aprovam greve por tempo indeterminado nas escolas da CapitalNotícia Anterior
Reinaldo Azambuja participa de encontro de governadores de Estado com o SenadoPróxima Notícia
Notícias

Protesto de bancários fecha maior agência do Bradesco na cidade

Espaçamento entre linhas+- ATamanho da fonte+- Imprimir esta notícia
Protesto de bancários fecha maior agência do Bradesco na cidade
Notícias relacionadas

Maior agência do Bradesco em Dourados não funciona nesta terça devido a protesto organizado por sindicato dos bancários (Foto: Eliel Oliveira).

A principal agência do Bradesco em Dourados, a 233 km de Campo Grande, não terá atendimento público nesta terça-feira devido a um protesto organizado pelo Sindicato dos Bancários contra as demissões feitas pelo banco. Faixas foram instaladas na porta principal da agência, localizada na Rua Joaquim Teixeira Alves, em frente à Praça Antonio João e sindicalistas fazem piquete no local.

As outras agências do Bradesco na cidade, uma na mesma rua, esquina com Nelson de Araújo, e outra na Avenida Marcelino Pires, funcionam normalmente.

Conforme o Sindicato dos Bancários, a exemplo do que ocorre em todo o país, os funcionários de agências da região de Dourados convivem com práticas de assédio moral, pressão por meta, falta de estrutura e trabalham com medo de demissão. “Foram mais de 20 demissões em Mato Grosso do Sul apenas neste ano”, afirmou ao Campo Grande News o diretor de imprensa do sindicato, Joacir Rodrigues.

“Na base do Sindicato de Dourados e Região a coisa não é diferente e as demissões também têm ocorrido com frequência, a última delas, na agência Marcelino Pires, fato que levou os trabalhadores da referida agência a paralisarem suas atividades na semana passada durante todo o dia”, afirma nota distribuída pelo sindicato.

Lucro e demissões – A entidade afirma que o banco teve lucro líquido de R$ 4,2 bilhões no primeiro trimestre de 2015, com alta de 23,3% em comparação ao mesmo período de 2014. Em contrapartida, demitiu 4.569 funcionários de março de 2014 a março deste ano.

“A organização ainda fechou 17 agências no Brasil para abrir 18 novos postos de atendimento e 2.613 correspondentes bancários Bradesco Expresso, onde a mão de obra é terceirizada e estão disponíveis poucas opções de transações para os correntistas. Desrespeitos de uma empresa que quanto mais lucra, mais maltrata seus trabalhadores e clientes”, afirma o sindicato douradense.

CG News

0 Comentários

Sem Comentários Esta postagem ainda não tem comentários

Comente agora, seja o primeiro!

Mas você pode ser o primeiro a deixar um comentário !

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *