Desempenho externo das carnes na 1ª semana de maioNotícia Anterior
Carteiras de motorista terão novo código de segurançaPróxima Notícia
Notícias

Noticia em Tempo Real

Vendas do Dia das Mães devem crescer e girar até R$ 10 bi

Espaçamento entre linhas+- ATamanho da fonte+- Imprimir esta notícia
Vendas do Dia das Mães devem crescer e girar até R$ 10 bi

Rio – O varejo deve registrar um Dia das Mães mais polpudo este ano. As vendas devem ficar entre R$ 9 e R$ 10 bilhões, segundo estimativas de duas entidades que representam o setor.

A compra de presentes para a data deve movimentar R$ 9,2 bilhões no País, previu a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

O resultado representa um crescimento de 3,8% em volume de vendas na comparação com o ano anterior, já descontada a inflação.

Se confirmada a estimativa, a data comemorativa terá crescimento real no faturamento após dois anos de quedas. Em 2015 e 2016, as vendas recuaram 0,4% e 9,0%, respectivamente.

A Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomercio RJ) estima que a segunda melhor data comemorativa para o varejo movimente R$ 10 bilhões este ano, com cerca de 72,9 milhões de consumidores indo às compras.

O gasto médio com os presentes será de R$ 136,51. Os itens preferidos são roupas (30%), perfumes e cosméticos (20%), calçados, bolsas e acessórios (11%) e flores (7%), de acordo com levantamento feito em parceria com o instituto de pesquisa Ipsos realizada em 72 cidades brasileiras.

A maioria dos consumidores que comprarão presentes (76%) afirma que pretende pagar à vista, enquanto 18% informaram a intenção de parcelar o valor da compra.

No universo de consumidores que pretendem presentear, 53% são homens e 47% mulheres, sendo 59% deles pertencentes à classe C, 26% de classes A ou B, e 15% de classes D ou E.

Com a expectativa de incremento das vendas, a CNC calcula que os varejistas aumentarão a contratação de trabalhadores temporários este ano, com a abertura de 20,6 mil vagas, ante 20,1 mil postos criados no mesmo período de 2016.

Apesar da maior oferta de trabalho, a taxa de efetivação deve se manter abaixo da média histórica de 5,5%.

As condições de consumo ainda são frágeis, especialmente pela lentidão na retomada do nível de atividade econômica, emprego e crédito, justificou o economista Fabio Bentes, da Divisão Econômica da CNC.

Fonte: Exame

consumo

0 Comentários

Sem Comentários Esta postagem ainda não tem comentários

Comente agora, seja o primeiro!

Mas você pode ser o primeiro a deixar um comentário !

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Destaque

IPTU Premiado sorteou em Maracaju 2 Carros e 3 Motos

IPTU Premiado sorteou em Maracaju 2 Carros e 3 Motos   0

por Maracaju em Foco Na manhã desta quarta-feira 11-04 em frente ao Posto Central ocorreu o sorteio do IPTU Premiado que visou contemplar com prêmios os contribuintes que pagaram o tributo [...]

Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner